Crônicas

Miopia

Eu tinha quinze anos quando descobri que era míope. Estava parada no ponto de ônibus indo para algum lugar que não me lembro quando olhei para um letreiro verde vindo em minha direção e, “O que é aquilo?”, pensei quando não consegui distinguir nenhuma das letras escritas ali.

Não era só uma mera questão de distância, tudo o que estava longe estava embaçado também: a miopia não vinha sozinha, o astigmatismo tinha resolvido me visitar sem dar previsão de quando iria sair.

Não é de todo ruim, sabe? Não digo que é bom também, porque seria mentira. Mas é o tipo de coisa que dá para se acostumar.

Os pontos negativos: sou um pouco atrapalhada, às vezes esqueço meus óculos -> saio de casa sem enxergar -> forço a vista apertando os olhos -> algumas pessoas já me perguntaram se eu estava as encarando ou paquerando por isso -> e na verdade eu nem tava vendo ninguém direito, só estava querendo enxergar.

Ou quando alguém diz algo do tipo “Você fica mais bonita sem óculos”.

Sério? Achei que as pessoas usassem óculos por precisarem, o que é bem diferente de querer. Eu uso porque tenho agonia só de pensar em colocar lentes de contato, aquelas coisas que entram nos olhos e… Eca! De todo modo, isso é sempre algo muito grosseiro de se dizer.

O lado bom: eu enxergo, o pró que compensa todos os outros contras.

Usar óculos é quase a mesma coisa que acontece na vida, as lentes me capacitam a enxergar até o que eu não quero ver. Principalmente o que eu não gostaria de ver.

Algumas coisas parecem tão mais lindas de longe, quando a minha vista está embaçada… Até que então eu as enxergo como realmente são, aí elas perdem o seu brilho. E às vezes, mais perto, nem mesmo a pureza parece mais tão pura assim.

Seria preferível não ver. Preferível que tudo continuasse lindo, ainda que embaçado. A ilusão não é nem de longe bonita, mas parece tão mais aceitável que a ilusão… Ou menos sofrível.

Mas se meus olhos já viram, o que mais eu poderia fazer? O resto perde o brilho se não consigo esquecer o que vi.

A lente acompanha o problema de tornar tudo visto fora dela desconfiável, inseguro e perigoso; quando tudo o que quero é proteção. A própria lente me serve de proteção.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s